Diante do Trono: confira a capa de “Sol da Justiça”

5

O ministério de louvor e adoração Diante do Trono em breve lançará seu novo CD e DVD “Sol da Justiça”. Enquanto o trabalho de pós-proução não é concluído, a Quartel Design divulgou a capa do CD.

“Sol da Justiça” foi gravado em Natal (RN) em dois “tempos”. O grande show onde seria feita a gravação fora marcado para o dia 16 de julho, contudo o mau tempo quase impediu que o evento fosse realizado. Com 3 horas de atraso, o evento iniciou – contudo a chuva e vento restringiram significamente a programação. Ana Paula Valadão, líder do Diante do Trono, afirmou que por um milagre diversas imagens conseguiram ser captadas desta apresentação.

Contudo, como não havia sido possível gravar satisfatoriamente, um segundo tempo foi planejado. O segundo show, desta vez no Midway Mall, foi realizado sob uma platéia que contou com os membros do coral moradores de Natal, alguns convidados, autoridades, veículos de comunicação e mídia, além dos pastores e suas esposas.

O 14º trabalho do ministério Diante do Trono foi marcado por camisetas personalizadas, versões de músicas e participações especias. A participação de Asaph Borba recebeu destaque – o Diante do Trono o homenageou cantando músicas do adorador.


Este promete ser um album único do Diante do Trono e contará com imagens das duas ministrações. Enquanto isso, confira a capa do CD “Sol da Justiça”:

 

Fonte: Gospel+

Com informações de Quartel Design

5 COMENTÁRIOS

  1. Ficou legal, mas o importante mesmo vai ser o conteudo, as musicas que estao 10, principalmente as regravações de musicas estrangeiras e outras tambem, Vai se show de bola esse cd.

  2. Não to criticando,e só uma ideia se a roupa dela fosse cor branca iria ficar mais linda a cpa ( alva como a neve ) mais como o colega falou o que vale é o conteudo ok .

  3. Na verdade, precisamos de justiça de Deus mesmo, já está na hora de pararmos e olharmos pra o verdadeiro criador que é Jesus Cristo e não ficarmos dando ênfase para capas de cds e cantores que se dizem evangélicos mais no fundo estão envolvidos em fatos que não estão de acordo com a palavra de Deus.
    Enquanto veneram a Ana Paula e seu grupo diante do trono olham só para onde estão indo o dinheiro da prefeitura da região onde gravaram o último CD/DVD.
    Sim peço justiça ao Senhor contra os enganadores:

    Ministério Público vai pedir explicações sobre pagamento de show do Diante do Trono

    O Ministério Público solicitará à Prefeitura explicações sobre o convênio de R$ 250 mil firmado com o instituto mineiro Fundação Oásis para divulgação do show da banda Diante do Trono, realizado em Natal. O extrato do convênio, publicado ontem no Diário Oficial do Município, define que o dinheiro foi destinado “a proporcionar a divulgação turística da Cidade do Natal, por intermédio da realização do evento”. O show da banda Diante do Trono ocorreu no dia 16 de julho e reuniu, segundo cálculos da Polícia Militar, 60 mil pessoas na Praia do Meio. Durante o show, foram gravadas imagens para a edição de um DVD da banda.
    Em contato com a TRIBUNA DO NORTE, um dos integrantes da Promotoria do Patrimônio Público confirmou que solicitará informações e a cópia completa do convênio firmado entre a Secretaria Municipal de Turismo e a Fundação Oásis, que é ligada à Igreja Batista de Lagoinha, a qual pertence o grupo Diante do Trono. O convênio foi assinado pelo secretário de Turismo Tertuliano Pinheiro e pelo diretor da Fundação Oásis Rodolfo Luís Aquino Hauck.
    Em entrevista à imprensa local, ainda durante a gravação do DVD, a cantora Ana Paula Valadão, líder da banda Diante do Trono, negou que a apresentação tivesse patrocínio financeiro da Prefeitura do Natal. Segundo ela, o Executivo da capital potiguar havia oferecido apenas incentivos de natureza logística. “O apoio da Prefeitura e do Governo é com estrutura de segurança, banheiros, trânsito. Enfrentamos dificuldades em outras cidades para esse apoio. Aqui, não”, disse a cantora.
    No total, o show da banda Diante do Trono custou aos cofres públicos R$ 290 mil. Isso porque além dos R$ 250 mil repassados pela Prefeitura de Natal, o Governo do Estado gastou outros R$ 40 mil.
    Segundo a Assessoria de Imprensa do Governo, no Diário Oficial de hoje será publicado o convênio firmado pela Secretaria Estadual de Turismo e a Fundação Oásis, prevendo o valor de R$ 40 mil para “divulgação turística”.
    No dia do show da banda Diante do Trono, tanto a governadora Rosalba Ciarlini quanto a prefeita Micarla de Sousa estiveram na Praia do Meio. Na ocasião, Micarla de Sousa afirmou que, com a gravação do DVD do grupo Diante do Trono, a capital potiguar se consolidou para sediar eventos de grande porte. “Natal se consolida, cada vez mais, como um lugar, além de abençoado por Deus, propício para realização de eventos de grande porte como este, de repercussão nacional, a exemplo da Copa do Mundo de Futebol, de 2014, uma vez que a Cidade do Sol será uma das sedes”, disse a prefeita.

    Recursos tiveram origem em uma emenda

    Procurado pela reportagem da TRIBUNA DO NORTE para falar sobre o convênio de R$ 250 mil para gravação do DVD da banda Diante do Trono, o secretário municipal de Turismo estava com o celular desligado. Mas o adjunto, Wellington Paim, explicou que os R$ 250 mil foram destinados em emenda parlamentar pelo vereador Albert Dickson (PP) para a Setur.
    Segundo ele, o dinheiro foi gasto para a divulgação de Natal na gravação do DVD. “Esse dinheiro foi para divulgação. No plano de trabalho há divulgação em outdoor, spot, VT, banner, folder e site”, destacou o adjunto de Turismo, acrescentando que todo gerenciamento do plano de mídia foi feito pela Fundação Oásis, que recebeu os R$ 250 mil da Prefeitura.
    Ele também ressaltou que no DVD será encartado um folder promocional de Natal. “Serão 300 mil folders encartados no DVD”, destacou Wellington Paim.
    Na véspera da realização do show para gravação do DVD da banda Diante do Trono, o vereador Albert Dickson deu declarações à reportagem da TRIBUNA DO NORTE na qual afirmava desconher a destinação de recursos públicos para o evento. Albert Dickson comentou que havia apenas o compromisso da Prefeitura com a parte logística do show (veja texto acima).
    Ontem, a reportagem da TRIBUNA DO NORTE tentou, insistentemente, falar com a direção da Fundação Oásis. Mas ninguém atendeu ao telefone, durante todo dia de ontem.
    FONTE: Tribuna do Norte.
    http://tribunadonorte.com.br/noticia/mp-vai-pedir-explicacoes-sobre-pagamento-de-show/190192

    André Valadão também gosta…
    No mês passado foi o seu irmão, André Valadão, o acusado pela imprensa de estar pleiteando verbas públicas para realização de shows.
    Após ficar ciente das notícias na internet dando conta de que André Valadão teria conseguido captar uma alta quantia em dinheiro – mais precisamente R$ 1.091.240,00 – do Ministério da Cultura para realizar shows gospel, a sua assessoria divulgou nota de esclarecimento. Segundo André, o montante em dinheiro foi aprovado para ser liberado pelo Ministério da Cultura a partir de um projeto elaborado por uma produtora, sem o seu conhecimento, e que propôs realizar uma turnê do cantor, porém, apesar do projeto ter sido aprovado pelo M.C. em fevereiro de 2011, o músico ainda não havia sido contactado pela empresa produtora. Segundo a nota, a apresentação de tais projetos de incentivo não dependem da assinatura dos artistas envolvidos e nem sempre são realizados, mesmo quando aprovados, podendo inclusive ser prorrogados visto que tem prazo de validade longo.
    O editor de Genizah que tem experiência com a aprovação de projetos de incentivo cultural confirma que estas práticas são mesmo comuns. As produtoras aprovam projetos, em alguns casos, sem amarrar todas as pontas. A autorização de realização, contudo, só sai após a apresentação de documentação e detalhamento, incluindo declarações dos artistas. Já a liberação dos recursos passa por processo rigoroso e auditado. Ou seja, as informações da assessoria de André Valadão são plausíveis.
    Já a questão do uso de verba pública para atividade religiosa é outra conversa. Neste ponto, é bom deixar claro: Se estes artistas gospel são, de fato, artistas e ponto final, que gozem das possibilidades abertas aos demais artistas brasileiros seculares. Se insistem, contudo, em se dizer “levitas”, donos de ministérios, contumazes arrecadadores de “ofertas vultosas” em igrejas para shows espirituais… Neste caso, a conversa é outra.
    Está ficando chata esta “conversinha para boi dormir” de alternar entre o espiritual e o produto cultural de consumo de massa, conforme a conveniência do momento.
    http://www.cultura.gov.br/site/wp-content/uploads/2011/02/CNIC-184.pdf

    Não tem como dizer que estão se levantando contra este grupo não, pois os documentos estão aí.

Deixe uma resposta