Kleber Lucas denuncia que foi chamado de “preto safado” por pastor

0

O cantor Kleber Lucas repercutiu o caso do jornalista William Waack, da TV Globo, acusado de racismo, com uma publicação no Instagram, onde revelou que já foi alvo do mesmo crime.

Em seu começo de carreira, o cantor teria sido chamado de “preto safado” por um pastor evangélico de Goiânia (GO). “’COISA DE PRETO’. Eu convivo com o racismo dentro e fora do meio evangélico”, desabafou o cantor.

Essa cirscunstância com o pastor teria sido cercada de declarações preconceituosas que vão além do racismo: “Quando eu saí de Goiânia em 1997, ouvi de um pastor: ‘Você é um PRETO safado, seu lugar é na favela. Se você acha que vai ter lugar no Brasil, esquece, você não tem onde cair MORTO‘”, escreveu Kleber Lucas, relatando a agressão verbal.

Para ele, o racismo é algo que faz parte da cultura brasileira e não recebe a atenção devida: “Uma vez fui cercado de policiais num shopping aqui da Barra da Tijuca como suspeito, e a situação só mudou quando as pessoas foram chegando e me reconheceram”, narrou. “Entrei numa agência de automóveis e perguntei pra atendente qual o preço do carro que eu estava interessado e, ela respondeu de forma irônica: ‘Caro’”, prosseguiu.

“A fala do jornalista é sintomática. Ainda representamos a escória social pra muita gente que são ignorantes quanto a nós. Minha intenção não é ostentação e sim uma breve apresentação de mais um preto e favelado. Muito prazer, Kleber Lucas”, escreveu o artista, antes de fazer um resumo de seus álbuns lançados e apontar que foi vencedor de um Grammy Latino.

COISA DE PRETO EU convivo com o racísmo dentro e fora do meio evangélico. Quando eu saí de Goiânia em 1997, ouvi de um pastor : ” você é um PRETO safado, seu lugar é na Favela. SE você acha que vai ter lugar no Brasil, esquece, você não tem onde cair MORTO.” Uma vez fui cercado de policiais num shopping aqui da BARRA da Tijuca, como suspeito e a situação só mudou quando as pessoas foram chegando e ME reconheceram. Entrei numa agência de automóveis e perguntei pra atendente qual o preço do carro que eu estava interessado e ,ela respondeu de forma irônica : CARO. A fala do jornalísta é sintomática. Ainda representamos a escória social pra muita gente que são ignorantes quanto a NÓS. Minha intenção não é ostentação e sim uma breve apresentação de mais UM PRETO E FAVELADO. MUITO PRAZER ,KLEBER LUCAS Discografia 1996: Rendei Graças 1997: Meu Maior Prazer 1999: Deus Cuida de Mim 2001: Aos Pés da Cruz 2003: Pra Valer a Pena 2005: Casa de Davi, Casa de Oração 2006: Propósito 2007: Comunhão: Para Aqueles que Te Amam 2009: Meu Alvo 2011: O Nosso Deus é Fiel 2012: Profeta da Esperança 2014: O Filho de Deus 2016: Pela Fé 2017: Live Session 4 DVS GRAMMY LATINO – em LAS VEGAS 2010 Melhor Álbum – Meu Alvo INDICADO 2013 Melhor Álbum – Profeta da Esperança INDICADO E VENCEDOR FORMAÇÃO •TEÓLOGO: Formado na Ftsa •PÓS GRADUANDO EM MISSÃO INTEGRAL NO CONTEXTO URBANO •Recentemente convidado a participar de uma MESA de diálogo interreligioso na MIDRASH DO LEBLON,realizado pela fundação Palmares. Na ocasião falei sobre intolerância religiosa e a fé trinitária que dialóga com o monoteísmo e o politeísmo. •No dia 31 de outubro de 2017,por ocasião das comemorações de 500 anos da Reforma Protestante foi convidado a falar NUMA mesa de Doutores da PUC. Na ocasião abordei o tema A REFORMA PROTESTANTE E O GRITO DOS EXCLUÍDOS, uma perspectiva da NEGRITUDE. • COMPOSITOR E POETA • CANTOR, MULTINSTRUMENTISTA , PRODUDOR, DIRETOR MUSICAL • PASTOR DA IGREJA BATISTA SOUL,Na Barra •EMBAIXADOR DA VISÃO MUNDIAL: •Orq. BELA OESTE RJ

Uma publicação compartilhada por Kleber Lucas (@kleberlucas) em


Deixe uma resposta