‘O Mundo Agora é Gay’: Katsbarnea lança single e cria polêmica

0

A banda Katsbarnea lançou um novo single na última terça-feira, 01 de maio: O Mundo Agora é Gay.

A canção tem produção musical do guitarrista Jeff Fingers e explora uma linha pop rock com influência dos anos 1980. O single ganhou um lyric video no canal da banda no YouTube, e traz uma abordagem direta à questão da homossexualidade e todo o contexto que envolve o tema.

“O mundo agora é gay, inteligente e vulgar. Juventude perdida, sem saber onde ir”, dizem os primeiros versos da música, que segue a linha de evangelismo que marcou a trajetória da banda nas últimas décadas.

No YouTube, a novidade dividiu opiniões: “Religiosos pirando em 3, 2, 1… Agora vão aparecer vários fariseus de plantão… kkkkk Deus ama as pessoas verdadeiras, sem mais”, escreveu uma usuária da plataforma.

“Os juízes de plantão sentados em seus tronos vão pirar… O amor de Jesus é incondicional porém a transformação é inevitável. E sempre é pra melhor. A boa obra em nós, está em andamento”, comentou outro.

No entanto, a banda também sofreu críticas: “O Katsbarnea tem uma trajetória muito importante. Sobre a música: desnecessário o título. Os arranjos são bons, já a letra é muito exagerada! Realmente Deus ama todos os pecadores mais ele odeia o pecado. Esse mesmo amor vem acompanhado com conversão sincera”, frisou um dos fãs.

“Claro que Deus ama a todos , mas nem todos vão para o céu. Essa música dá a entender que você pode ser do jeito que você quiser que tudo bem, e sabemos que não é bem assim”, opinou um dos que reprovaram a letra.

‘O Mundo Agora é Gay’

Assine o Canal

O mundo agora é gay
Inteligente e vulgar
Juventude perdida
Sem saber onde ir

Você e o seu visual
Pra mim tudo isso é normal
Até seu jeito global
Pra mim é tão casual

Não posso mudar o mundo
Com muitas ou poucas palavras
Apelo para o bom senso
E volto para o começo

Você tem todo o direito
De viver como quiser
Jesus Cristo te ama
Do jeito que você é

O mundo agora é gay
Inteligente e vulgar
Ôôôh, ôh, ôh
Ôôôh, ôh, ôh

Autor: Paulinho Makuko


Deixe uma resposta