Em entrevista, Mara Maravilha fala sobre o passado, carreira e casamento: “Descobri o sexo há quatro anos”

15

A cantora Mara Maravilha afirmou em entrevista que somente descobriu o sexo “há quatro anos”, período em que está casada com seu segundo marido, o dentista Alexander Vigna.

Na entrevista concedida ao portal IG, Mara disse que atualmente está fazendo em torno de 15 apresentações por mês, no Brasil e no exterior, e que ganha mais dinheiro agora do que na época em que era apresentadora de TV: “E amanhã eu quero ter muito mais que hoje”, ressalta.

Mara falou também sobre o arrependimento de ter posado nua em um ensaio para a revista Playboy, e que para ela, “mulher tem que ser submissa”.

Com 44 anos de idade, Mara Maravilha pretende ser chamada por seu nome de batismo, Eliemary e deseja ser mãe: “Estou crendo que a Vitória um dia vai chegar”, afirma.

Confira abaixo a íntegra da entrevista da cantora Mara Maravilha:

Mara, como é sua vida hoje?
Todos os dias quando acordo, eu oro. É como escovar os dentes, não tem como não fazer. E procuro ter mais qualidade de vida. Como tenho quatro hérnias de disco, estou me policiando para ter uma atividade física. Me tornei uma pessoa saudável, dez horas da noite já estou dormindo. Sou simples, mas com uma personalidade forte e servidora de Deus.

Você se casou novamente (com o dentista Alexander Vigna) há quatro anos. Como é a relação de vocês?
Fui muito abençoada e estou tendo uma segunda chance de ser feliz (Mara foi casada durante nove anos com seu ex-assistente de palco, Paulo Lima). Se eu não tivesse mudado nesses quatro anos, eu ia cometer os mesmos erros, como eu pensar que era submissa e não era. Vou fazer uma revelação bombástica para vocês: o sexo é algo criado por Deus, e mesmo sendo uma pessoa sex appeal na mídia, eu só descobri o sexo mesmo há quatro anos.
E como é o sexo hoje entre vocês?
Faço sexo todo dia há quatro anos.

Você acha que a mulher tem que ser submissa ao homem?
Eu creio que sim! Eu estou aprendendo a ser mais submissa ao meu marido. O homem é “o cabeça”, quem tem que decidir, porque a submissão não é uma escravidão e, sim, um conforto. Não acho errado a mulher querer ter a sua independência financeira, mas tem que ser submissa.

Quando você é submissa?
Nas pequenas coisas, tipo: se estou com vontade de comer uma coisa, mas meu marido quer outra, tudo bem. Isso não quer dizer que você não tenha os seus direitos, então eu acho, sim, que a mulher tem que ser bem tratada, porque ela é um vaso frágil. O homem tem que fazer a mulher sentir prazer em ser submissa.

E ciumenta, você é?
Eu não, mas meu marido é bastante, viu? Ele tem uma personalidade muito forte. O legal é que ele se encantou por mim como mulher. Ele não era meu fã. Ele se apaixonou pela Eliemary (nome de batismo da cantora) e não pela Mara Maravilha.

Quem é a Mara Maravilha e quem é a Eliemary?
A Mara Maravilha não cabe dentro da Eliemary. A Eliemary é muito mais introspectiva, contida, servidora da palavra de Jesus. Não é que eu sou uma personagem, mas eu não vivo Mara Maravilha 24 horas. A Mara Maravilha muitas vezes quer tomar conta da minha vida, então eu tenho que puxar as rédeas dela.

Você pensa em ter filhos?
Vejo uma criança e quero. Deus vai colocar um filho no meu caminho ainda. Sou a favor de adoção, mas tudo tem que ser acordado com meu marido.

Você já passou por um aborto, há 20 anos, certo?
Eu passei por muitos momentos de conflito. Sofri o aborto e tenho certeza que Deus não está me castigando agora. Eu sou contra o aborto. Deus falou para mim: ‘por que você não para de pensar em ter e não começa a crer em ter?’. Então eu estou crendo que a Vitória um dia vai chegar. Hoje eu fico pensando em ser uma boa mãe e não esquecer ela no chuveiro.

Esse V, no seu pingente, é de Vitória?
É, da minha filha que eu estou esperando chegar.

Você deu entrevista em que falou que sempre teve uma relação muito difícil com sua mãe. Por quê?
Minha mãe queria que eu tivesse escolhido o patamar da Mara Maravilha, da Xuxa, da Angélica. Só que Deus me deu o livre arbítrio. Ela queria que eu ainda fosse uma estrela da televisão, mas eu não quero nem ser estrela. Não tenho luz própria. Tenho a consciência de que sou um reflexo da luz do senhor Jesus. Mas sou uma boa filha. Dou todo o provimento que ela precisa e cuido muito dela.

Quais medos você tem ou teve?
O medo na verdade é uma grande mentira. Eu tenho medo, por exemplo, de ficar sozinha, de andar só. Medo de engordar, de não ser aceita. Mas com a ajuda de Deus eu tenho vencido até a dor física.

Arrependimentos?
Vários, entre eles de posar nua, mas atire a primeira pedra quem não tem arrependimentos. Eu fiz pela questão do dinheiro, pela questão da fama que eu tinha. Não por vaidade, pois não me acho bonita, mas também não me acho feia.

O dinheiro valeu a pena?
O dinheiro foi todo embora. Não sobrou nem um troco. Eu não acho que foi muito, não. Pela dor de cabeça que foi, deveria ter sido muito mais.

Depois de posar nua, os homens começaram a te olhar de outra forma?
Não por eu ter posado nua, mas por ser famosa. A fama cria uma imagem nos olhos das pessoas. Ouço muitos fãs dizendo que queriam casar comigo, mas eles não conhecem a Eliemary, não sabem como ela é difícil.

Já quiseram pagar para dormir com você?
Não, não.

De onde você tira o seu dinheiro hoje?
Sou uma ótima administradora. Faço investimentos em outras áreas, como a construção civil, além da minha carreira musical. Hoje os meus CDs trazem um retorno muito bom. Os meus eventos são muito procurados, tanto aqui no Brasil quanto no exterior. Pra esse ano eu ainda tenho vários projetos, como uma Bíblia e uma série de livros, na qual eu vou falar de temas como depressão, divórcio, medo. Também vou criar um site de autoajuda e abrir outros três escritórios, na Europa, Estados Unidos e África, para divulgar a música evangélica.

Quantas pessoas trabalham contigo hoje?
Diretamente mais ou menos umas 30 pessoas.

Você se considera uma mulher rica?
Não gosto da palavra rica, digo que eu sou uma pessoa muito próspera e abençoada. Vim de uma família muito humilde, de um relacionamento difícil com meu pai, que nunca me sustentou. Então, eu tinha tudo para ser desprovida, mas eu te confesso que sobra. Pra mim, se Deus me dá uma moeda, é meu dever pelo menos dobrar esse dinheiro, senão ele vai tirar de mim e dar para outra pessoa cuidar.

Ganhou muito dinheiro nos anos 1980?
É um mito vocês acharem que eu ganhei muito dinheiro nos anos 1980. Eu não vivo em função do dinheiro. Eu não priorizo o dinheiro.

Então ganha mais dinheiro hoje do que quando estava na televisão?
Sim, muito mais. E amanhã eu quero ter muito mais que hoje.

Você ensaiou uma volta à televisão ao fazer um teste para o papel de professora Helena, no remake de “Carrosel”, no SBT. Ficou frustrada de não ter conseguido? Sentiu-se traída pelo Silvio Santos?
De jeito nenhum! Fui muito bem, não errei nada no teste, não gaguejei, mas eles acabaram optando por outra atriz. Muitas vezes um ‘não’ pode ser o caminho para a vitória. Eu já recebi tantos, e vou receber muitos outros ainda.

Essa tentativa no SBT veio de um desejo de voltar para a televisão?
Acredito que eu sou uma comunicadora. Deus me deu um talento. Penso em um programa de entrevista como o Jô Soares, com toda modéstia.

Hoje em dia, a Xuxa e a Angélica se firmaram no topo da lista das grandes celebridades. Como você se enxergaria se tivesse continuado? Em que patamar estaria?
Você usou a palavra patamar, o que é relativo na vida de cada um. Cheguei num patamar em que tinha me perdido de mim. Eu não sabia mais quem eu era. Eu amo a Xuxa, mas começa a ficar confusa a mistura da personagem Xuxa com a Maria das Graças. Eu não tenho a necessidade de ter um patamar de aparência. Eu não tenho essa ganância.

Você era a queridinha do Silvio Santos?
Sim, eu era, e tenho certeza que até hoje a admiração, o carinho e a atenção que Deus colocou no coração dele a meu respeito continua. Tenho um verdadeiro amor pelo Silvio. Confesso que hoje eu estou apaixonada pela Patrícia Abravanel, mas eu o amo e vou lembrar sempre dele com coisas boas. Ele é um ser iluminado. Eu brinco que domingo é dia de culto e Silvio Santos. Se vocês deixarem, eu vou ficar rasgando seda pra ele aqui a tarde inteira.

Como ele é pessoalmente?
Ele é admirável. É bravo na medida certa. Ele é sério quando tem que ser. Posso dizer que o Silvio é muito generoso, um homem família. Ele tem defeitos como todo mundo, mas eu amo ele.

O que você acha da programação da televisão de hoje?
Acho que a televisão hoje subestima um pouco o público. Gosto de programas inteligentes como o da Marília Gabriela e não gosto quando eu vou a algum lugar em que não sou bem tratada, como no programa da Adriane Galisteu , o “Muito +”, da Band.

O que aconteceu no programa?
Não fui bem tratada por falta de ética deles. Eles falaram que eu fui presa, que eu cheirei cocaína, o que eu nunca fiz. O telespectador não é burro. O que teve de gente que percebeu que estavam falando calúnias e depois veio falar comigo…

Você teve algum vício ou problema com drogas?
Fui viciada em moderador de apetite. Quando a gente tem uma história de fraqueza e a supera, ela se torna o nosso maior trunfo para mostrarmos o quanto somos grandes.

E você se tornou dependente de remédios para emagrecer por um desejo seu de ser magra ou por exigências da televisão?
Um pouco de cada. Mas quando se tem talento, ele acaba se sobressaindo e não importa o resto.

Já fez plástica?
Eu nunca mudei nada no meu corpo, só tirei seios. Enquanto todo mundo quer colocar, eu quero é tirar.

Você fez músicas infantis como “Lobo Mau”, mas mais tarde admitiu ter um teor sexual? Cantaria para sua filha, por exemplo?
Eu vou falar ‘filhinha, mamãe fez tudo isso sim, mas fez também essas aqui de Deus. Ouça essas’.

que Mara pensa sobre alguns famosos:

Gugu = Um doce de pessoa. Dá vontade de apertar ele. Ele é uma pessoa boa. Ele faz muitas coisas boas no seu programa. Ele é de Deus.

Sérgio Mallandro = Um irmão. Ele merece ter todo o nosso respeito, nossa admiração, principalmente da mídia. Ele tira uma risada gostosa da gente. Ele é um talento que precisa ser valorizado.

Hebe Camargo = Eu não tive a oportunidade de conhecer a Hebe. Ela nunca se deu muito pra mim, e acho que é porque era muita gente pra ela dar atenção.

Eliana = Uma menina muito equilibrada, que eu não me lembro de ter tido nenhum momento ruim. Ela sempre me respeitou e foi uma ótima colega. O programa eu não gosto, não apresentaria o programa dela, mas eu gosto muito dela.

Gretchen = Vejo que as pessoas jogaram muita pedra nela. Imagino que é muito sofrida. Ela paga um preço muito alto por se expor tanto.

Val Marchiori = Já ouvi falar, mas não sei quem é, não.

Rafinha Bastos = Espero que ele tenha aprendido a vigiar o que fala. Diante de Deus que eu não tenho nada para falar dele.

Fonte: Gospel+

15 COMENTÁRIOS

  1. Lamentável sob todos os pontos de vista. Não precisava e nem precisa dar explicações ou expor sobre sua vida sexual. Não interessa a ninguém. Com 44 anos e uma carreira sólida ainda não aprendeu a dar entrevista sem explicar particularidades e/ou peculiariedades sobre sua vida. Lamentaaaveeelllll ……….

  2. acho que se contradiz um pouco:… qdo se refere a dinheiro, diz que nao prioriza-o mais quer ter cada vez mais??? e qdo diz que nunca mudou nada no seu corpo, mais tirou seios??? nao acha que ao mesmo tempo que diz que nao fez, diz que fez??? como assim ???

  3. Pelo o que ela é, a entrevista foi absolutamente ótima, porém, pelo o que ela tenta mostrar E PASSAR UMA IMAGEM QUE ELA NÃO É; falta ainda simplesmente um detale, “FALTA SE CONVERTER”… “cada uma!!! eu vou morrer e ainda não ví tudo…hauhauha

  4. É aquela velha história…sai pelada em revista, depois se arrepende e vira crente pra conseguir um lugar no céu!!! Agora usa o nome de Deus pra ganhar seu dinheirinho!!! Ninguém ensinou a essa moça q é feio cuspir no prato q comeu? Ficar falando q o ex marido não serviu nem pra mostrar o q era sexo pra ela? Ficou casada 9 anos com o rapaz e agora fala mal dele!!! Para um homem esta declaração é muito ofensiva!!!

  5. A PAZ DO SENHOR EU QUERO DIZER QUE ISSO FOI ERRADO A CANTORA MARA MARAVILHA SE SEPARAR DO SEU PRIMEIRO MARIDO E CASAR COM UM DENTISTA ESSA MARA MARAVILHA NAO SE DECIDE ELA CASA COM UM MARIDO QUANDO ACONTECE ALGUMA COISA ELA SE SEPARA E CASA COM OUTRO MAIS A PALAVRA DE DEUS DIZ QUE EXISTE UMA MULHER DE UM SO MARIDO MAIS INFESLISMENTE AS MULHERES HOJE EM DIA SO FAZ ISSO EU ACHO QUE SE FOR PRA MULHER SE SEPARAR DE UM MARIDO E MELHOR NAO CASAR

  6. O sentido do casamento

    O mesmo Deus que criou o homem e a mulher uniu-os em matrimônio. A Bíblia nos diz que, ao criar o homem, Deus sentiu-se insatisfeito, porque não encontrara em todos os seres criados nenhuma criatura que o completasse.
    E Deus percebeu que “não é bom que o homem esteja só” (Gn 2,18a). Então, disse ao homem: “Eu vou dar-lhe uma ajuda que lhe seja adequada” (Gn 2,18b), alguém que seria como você e que o ajude a viver. E fez a mulher. Retirou “um pedaço” do homem para criar a mulher (cf. Gn 2,21-22).
    Nessa linguagem figurada, a Palavra de Deus quer nos ensinar que a mulher foi feita da mesma essência e da mesma natureza do homem, isto é, “à imagem e semelhança de Deus” (cf. Gn 1,26). Santo Agostinho nos lembra que Deus, para fazer a mulher, não tirou um pedaço da cabeça do homem e nem um pedaço do seu calcanhar, por que a mulher não deveria ser chefe nem escrava do homem, mas companheira e auxiliar. Esse é o sentido da palavra que diz que Deus tirou “uma costela do homem” para fazer a mulher.
    Ao ver Eva, Adão exclamou feliz: “Eis agora aqui, o osso de meus ossos e a carne de minha carne” (Gn 2,23a). Foi, sem dúvida, a primeira declaração de amor do universo. Adão se sentiu feliz e completo em sua carência. Então, Deus disse: “Por isso o homem deixa o seu pai e a sua mãe para se unir à sua mulher; e já não são mais que uma só carne” (Gn 2,24).
    Isso quer dizer: serão uma só realidade, uma só vida, uma união perfeita. E Jesus fez questão de acrescentar: “Portanto, não separe o homem o que Deus uniu” (Mt 19,6b).
    Após uni-los, Deus disse ao casal: “Frutificai e multiplicai-vos, enchei a terra e submetei-a” (Gn 1,28). Aqui está o sentido mais profundo do casamento: “frutificai [crescei] e multiplicai”. Deus quer que o casal, na união profunda do amor, cresça e se multiplique nos seus filhos; e daí surge a família, a mais importante instituição da humanidade. A família é a célula principal do plano de Deus para os homens e ela surge com o matrimônio.
    É muito significativo que Deus tenha dito ao casal: “crescei”; e, em seguida, “multiplicai”. Isso mostra que a primeira dimensão do casamento é o crescimento mútuo do casal, realizado no seu amor fecundo. Ninguém pode multiplicar sem antes crescer. Como é que um casal vai educar os filhos, se eles, antes, não se educaram, não cresceram juntos?
    O casamento não é uma aventura nem um “tiro no escuro” como dizem alguns; é, sim, um projeto sério de vida a dois, no qual cada um está comprometido em fazer o outro crescer, isto é, ser melhor a cada dia. Se a esposa não se torna melhor por causa da presença do marido a seu lado, e vice-versa, então o casamento deles está sem sentido, pois não realiza sua primeira finalidade. Também um namoro, um noivado, ou até uma simples amizade, não terão sentido se um não for para o outro um fermento de auxílio e crescimento. Enfim, o casamento não é para “curtirmos a vida a dois”, egoisticamente; ele existe para vivermos ao lado de alguém muito especial e querido que queremos construir. É por isso que se diz que “amar não é querer alguém construído, mas, sim, construir alguém querido.”
    Para ajudar o outro a crescer é preciso aceitá-lo como ele é, com todas as suas qualidades e defeitos. A partir daí é possível então, com muita paciência e carinho, ajudar o companheiro a crescer; e crescer quer dizer “atingir a maturidade como pessoa humana” no campo psicológico, emocional, espiritual, moral, etc.

  7. Quando dois se transformam em três
    O amor que levou um homem e uma mulher a um compromisso “para sempre” rompe o que era um sistema de vida no qual dominava o “tu” e o “eu”, para iniciar a vida de “nós”, cujo “tu” e o “eu” vivem de um modo diferente, mais íntimo, mais cordial, mais profundo.
    Conforme passa o tempo, todos esperam um novo passo na vida do matrimônio jovem: o nascimento do primeiro filho. É um momento em que a esposa, vibra de emoção, e contagia o esposo, que também participa, do que vai acontecer no seio de sua esposa. O “tu” e o “eu”, já convertido em um “nós”, se abre e se enriquece diante da chegada do primeiro filho, que introduz muitas novidades para o casal até o momento mais ou menos harmônico.
    Desde cedo, logo nos primeiros nove meses, serão um mistério compartilhado especialmente entre a mãe e o bebê. O pai, porém, não é um satélite externo a todo o que está ocorrendo. Sabe que este bebê é “nosso” filho. Sofre e sente as angústias da esposa. Alegra-se com os resultados positivos de um diagnóstico pré-natal, e se preocupa quando os médicos não se mostram otimistas. Compartilha, à medida de seu amor, a aventurar de uma nova vida que já iniciou e que logo poderá não só tocar através da pele da esposa, mas ver e apalpar diretamente, em um abraço de gozo e de alegria que é difícil de descrever.
    Toda caminhada matrimonial implica esta abertura às vidas que vem do amor. Cada nova concepção repete a alegria da vida, dessa vida que nossos pais nos deram, dessa vida que tantos nos acolheram, dessa vida que também nós podemos dar graças ao amor que não se impõe limites.
    Agora, o casal terá que reservar ao novo membro um espaço físico, psicológico e emocional entre eles, além de conservar e fazer crescer sua relação de esposos.
    A melhor maneira para enfrentar essa nova forma de vida, é estar preparados e esperar o inesperado. E ir aprendendo como cuidar do bebê, fazer cursos juntos e ler sobre tudo que virá, pode poupar muitos gritos e mal-entendidos provocados pelo estresse que acarreta a adaptação a essa mudança.
    Para manter uma boa relação como casal, temos aqui algumas sugestões que podem ajudar:
    NÃO DEIXEM DE DIALOGAR
    É fácil deixar de fazê-lo depois de ter um dia cheio de atividades, trabalho e cuidados com o bebê, no entanto, dediquem, mesmo que seja alguns minutos, para dialogar e conhecer suas expectativas, medos, etc.
    NÃO SE DESESPEREM
    Aceitem que sua vida mudou radicalmente e não podem levar a mesma rotina de antes, inclusive como dona de casa, não tenha como prioridade ter a casa e a cozinha impecáveis, pois ao ver que não tem tempo para ele, só te trará desgostos.
    DEEM TEMPO AO TEMPO
    Eventualmente vocês e seu bebê estabelecerão uma rotina, o que facilitar ter mais tempo para desfrutar como casal.
    PLANEJEM SAIR JUNTOS
    Talvez demore um pouco de tempo voltarem a sair sozinhos, mas podem começar a planejar e buscar quem possa cuidar um pouco do bebê.
    O que podem fazer antes de voltar a sair, é ter seus próprios momentos em casa, algum jantar romântico ou simplesmente assistir a um filme ou desfrutar com seu aperitivo favorito.
    NÃO DEIXEM DE DIZER O MUITO QUE SE AMAM
    Seja com palavras, com carícias, cartinhas ou detalhes que façam o outro ver o muito que o ama.
    Lembrem que a relação mais importante na família é a dos cônjuges, é a base para desenvolver as demais relações entre a família.
    Não se esqueçam que dentro de alguns anos, voltaram a estar sozinhos outra vez, quando seus filhos se casarem ou tiverem outros interesses. Não esperem até lá para desfrutar sua relação como casal.
    NUTRAM SEU MATRIMÔNIO DESDE HOJE, QUANDO TÊM FILHOS
    Através dos anos verão os frutos, filhos estáveis e independentes e sobretudo um matrimônio amoroso e feliz.
    NUNCA DEIXEM DE REZAR
    Lembrem-se que Deus da a graça necessária para manter a união de vocês e fortalecer seu amor. Quando rezam juntos, Deus, os ajudará nos momentos difíceis e os acompanhará nas alegrias.
    Todos queremos que o novo milênio seja um pouco melhor, um pouco mais feliz. O será à medida que soubermos amar, abrir o coração ao outra, a outra, aos outros que vierem. Assim nascemos, milhares de milhões de seres humanos. Assim esperam poder viver, com a dignidade do amor, aqueles homens e mulheres que serão nossos filhos e os filhos de nossos filhos, e que dependem plenamente do nossa disponibilidade no amor. Dá-lo não custa nada, e pode conceder-nos muito mais do que possamos esperar. Basta fazer a experiência.

  8. O CASAMENTO SE INICIA NO NAMORO EQUILIBRADO
    Deus estruturou a humanidade na família
    O que Deus quer do casamento, da família?
    Quando o Deus Pai quis que a humanidade existisse, Ele estruturou tudo na família, com o casal. O Senhor fez o homem, mas viu que seu coração estava vazio e disse a Adão: “Eu vou te dar uma companheira adequada” (Gn 2, 18c). Quando Ele fez a mulher da mesma natureza do homem, é uma linguagem poética para dizer que a mulher foi feita na mesma dignidade do homem, mas diferente para que os dois se completassem. Quando Deus levou Eva para Adão, este ficou emocionado e disse: “Ela vai se chamar mulher” (id. 2, 23c).
    O Altíssimo disse a coisa mais importante sobre isso: “Por isso o homem deixa seu pai e sua mãe e se une a sua mulher e serão uma só carne” (id. 2, 24). Isso é o desígnio de Deus, que o homem se case com uma mulher e forme uma só carne, uma só pessoa humana.
    Pela unidade do amor de Deus, no altar, vocês serão uma só pessoa; isso é mais ou menos aquilo que acontece na Santíssima Trindade, Três Pessoas, mas uma unidade. Se o casamento não for uma unidade, ele não estará de acordo com a vontade de Deus, e o casal não poderá ser feliz. Se o casal não for uma unidade, não estará vivendo conforme a vontade divina; e isso começa no namoro. É no namoro que a família começa, todos nós nos casamos porque namoramos.
    O namoro é o alicerce, o fundamento, se você fizer desse período apenas uma curtição, você estará fazendo da sua família futura uma brincadeira e você sofrerá mais tarde. Leve o namoro a sério, não brinque com a pessoa do outro. Namoro não é tempo de conhecer o corpo do outro, mas alma do outro. Não empurre seu namoro com a “barriga”, se você vê que só existe briga, tenha coragem de terminar, o amor é algo que se constrói, não cai do céu pronto. A aliança de namoro você pode tirar do dedo, a aliança do casamento, não.
    Não deixe a vida sexual sufocar seu namoro, a vida sexual é para os casais casados. São Paulo diz que o corpo da mulher pertence ao marido e o corpo do marido pertence à mulher, porque eles são uma só carne, por isso têm o dever de viver a vida sexual.
    Viva seu namoro na castidade, na seriedade e vocês estarão se preparando para ser um casal fiel. O namoro é o começo de tudo, é o ponto de partida.
    Quando chegamos ao casamento o que Deus quer? O casamento é uma decisão que exige maturidade, atrás desse “sim” vêm os filhos, que não pediram para vir ao mundo, mas vieram por amor. O filho tem o direito de viver com seus pais, porque ele precisa disso para sua formação moral, intelectual, psicológica, por isso, o casal precisa ser uma só carne e não levar o casamento na brincadeira com mentiras. Se você começar a mentir dará espaço para o demônio entrar no seu matrimônio; não pode haver falsidade entre o casal. Não pode haver divisão entre o casal, não pode existir a primeira pessoa do singular: “eu”, mas sim, a primeira pessoa do plural: “nós”.
    Deus quer o casal como café com leite: quando alguém olha vê um só. É possível fazer isso? Sim, com a graça de Deus. Casal que reza junto permanece junto.

  9. Hoje em dia muitos começam um namoro de forma errada

    Hoje em dia muitas pessoas começam um namoro de forma errada, pois se esquecem que em toda obra é necessário primeiramente a construção de um alicerce principal, que será fundamental para o sustento de toda obra.

    Este alicerce, esta base inicial, é construída durante a amizade, a partir de muito diálogo, para que um conheça o outro profundamente, e este conhecer profundamente implica em conhecer as qualidades e os defeitos que todos nós temos. E o porquê disto? Porque é necessário que analisemos as qualidades e os defeitos da pessoa a quem estamos querendo namorar, para saber, se diante de nosso jeito de ser, com nossas qualidades e nossos defeitos, nós iremos conseguir conviver com esta pessoa.

    Em outras palavras, é preciso que tenhamos consciência do passo que estamos dando na vida, pois o namoro é uma base sólida que conduz ao matrimônio, por isso devemos fazer as contas para ver se estamos prontos para a construção desta base, como nos ensina a Palavra de Deus a respeito disto. (Lc 14, 28)

    O que acontece infelizmente hoje em dia é que, por não existir este alicerce inicial, as pessoas acabam conhecendo verdadeiramente a outra depois de já estarem namorando, e quando se deparam com os defeitos e percebem que não conseguem conviver com eles, terminam o namoro e se frustram.(Lc 14, 29-30)

    Outras pessoas começam um namoro na busca de preencherem um vazio interior, que por muitas vezes tentaram buscar na família, no trabalho, nas amizades e que não conseguiram, pois se esqueceram que carência se cura, e não se preenche. E é justamente por isso que estes namoros tendem a não durar muito tempo, já que um fica esperando receber o amor do outro, e por isso começam as cobranças, depois as brigas, até se separarem. E mesmo às vezes, quando recebem, nunca será o necessário, já que este vazio, esta carência é de Deus, e não de pessoas. Por isso só Deus poderá preenchê-lo, ou melhor, curá-lo.

    Todos nós somos seres humanos extremamente carentes – uns mais, outros menos -; a diferença é que uns dão passos e buscam o equilíbrio, a cura, e outros se deixam levar por estes sentimentos.

    Não podemos deixar que os sentimentos dirijam nossa vida, pois além deles nos enganarem, eles são passageiros, assim como tudo na nossa vida é, somente Deus não passa.

    Como o namoro é o tempo do conhecimento, mas principalmente da escolha da pessoa a quem futuramente pretendemos construir uma família, a amizade é o tempo por excelência de conhecermos a nós mesmos, de analisar como anda nosso coração, rever nossos sentimentos, nossas atitudes, além do conhecimento da outra pessoa, é claro. E diante destas realidades, da situação que se encontra minha vida, meu coração, e diante de tudo o que conheço desta pessoa a quem pretendo namorar, escolhermos, já que somos livres, se este tempo presente, é apropriado para dar um passo a mais em um relacionamento que transpassa a amizade, e se encaminha para construção de uma família.

    “O casamento é um namoro que deu certo”

Deixe uma resposta