Indústria da Música Gospel aposta no Brasil

10

Com uma população evangélica crescente, o Brasil já é visto como a nação mais promissora, depois dos EUA, para investimentos no segmento

Por Oziel Alves

Os olhares da indústria fonográfica gospel internacional estão voltados para o Brasil. O aumento significativo do consumo e da população evangélica, surpreende a todos. Aqui, a fé não só move montanhas; como também movimenta milhões de reais com o comércio de produtos e serviços para o público cristão. R$ 1,5 bilhão por ano, para ser mais preciso. O público evangélico brasileiro saltou de 4,8 milhões em 1970 para mais de 26 milhões no ano 2000 (IBGE). Considerando uma taxa de crescimento anual de 6%, estima-se que ainda neste ano, o número de evangélicos ultrapasse os 45 milhões e assim, em 2020 – 129 milhões de pessoas – chegando a metade da população brasileira. Este panorama, que tem surpreendido a todos, por caminhar na contramão das principais nações do planeta, e que, contribuí para uma mudança gradativa da cultura no país, tem despertado também, a atenção das grandes corporações do segmento.

“Eu tenho ciúmes de vocês, brasileiros”, disse, descontraidamente o australiano Graham Williams, Diretor Internacional de Vendas do grupo Hillsong Music, que veio a ExpoCristã 2010 para o lançamento da parceria com o grupo CanZion Brasil; agora, distribuidora oficial do grupo Hillsong para toda a América Latina. Williams estava se referindo ao crescimento da população evangélica no país, em comparação ao decréscimo avassalador do Cristianismo em praticamente todos os 47 países da Europa. “Vocês são uns privilegiados” disse Ele. “Parece que só agora, o mundo começa a notar a importância deste país, que se levanta como um gigante, ocupando a segunda posição, no ranking dos países com maior população evangélica do mundo”.

De fato, Williams tem razão. Em número de evangélicos, o Brasil só perde para os Estados Unidos, onde, apesar da constante queda, 57,9% da população, ainda se diz protestante.


“7% do nosso faturamento está aqui, mas este índice cresce a cada ano, e ao que tudo indica deve nos surpreender em pouquíssimo tempo” disse o americano Kevin Hyer, diretor executivo para assuntos internacionais do grupo Word Entertainment, que pela primeira vez veio ao Brasil e esteve na ExpoCristã 2010, para consolidar a parceria de distribuição nacional com a BV Films.

Hyer, que representa artistas como Jaci Velasquez, Salvador, Nataly Grant, entre outros, salienta que uma possível mudança cultural deve acontecer a curto prazo. “Se antes o Brasil era pouco visitado por artistas internacionais, hoje, o que todos querem é ter uma passagem pelo país o mais rápido possível. Apesar de apenas 5% da população aqui, falar inglês, a rota dos grandes espetáculos, que normalmente começam pela Europa e EUA, a partir de agora, deve privilegiar o Brasil já no início de suas turnês”.

É impossível negar. Se ainda há qualquer tipo de preconceito com o gênero gospel no Brasil, em pouco tempo isso deve acabar. As grandes empresas de entretenimento, comunicação e mídia como Sony, Som Livre, Rede Globo entre outras, rapidamente, se renderam a cultura cristã, que se impõe sem maiores alardes. A mensagem que o povo manda nas entrelinhas é facilmente entendida: “quer sobreviver, economicamente? nos ofereça produtos compatíveis com nossa fé”. Assim, no começo deste ano, a Sony Music criou o departamento gospel de sua gravadora – o primeiro da instituição no mundo -, que em menos de 6 meses superou os objetivos iniciais, estabelecidos pela empresa no país; A Som Livre passou a distribuir CDs e DVDs gospel, investindo num marketing acirrado, até mesmo no horário nobre da maior emissora do país. A Rede Globo, que nunca havia dado espaço aos evangélicos, começa incluindo músicas em suas novelas e privilegiando artistas com apresentações ao vivo, como é o caso de Fernanda Brum, Aline Barros e Diante do Trono que, recentemente, se apresentaram no programa Domingão do Faustão.

Diante dos números, a melhor solução, mesmo, é render-se. Na contramão das tendências, o gênero gospel é o único do segmento fonográfico que cresce no Brasil e um dos poucos que consegue sobreviver, exclusivamente da venda do CD físico, já que a pirataria no segmento é bem menor se comparada àquela que dizima a classe secular. Pelo segundo ano consecutivo, o mercado musical brasileiro, apesar das expectativas pessimistas, cresceu 8,% graças ao povo evangélico. Em 2009 o setor movimentou $ 175 milhões de dólares com a venda de música no formato (CD, DVD, Blu-Ray) além dos formatos digitais que já representam 11% do faturamento e prometem bancar o futuro do mercado músical, seguindo a trilha do mercado americano.

Dinheiro é importante. Movimenta o mundo. Mas o que todos, verdadeiramente comemoram é que através da música, o Ide e Pregai o Evangelho a Toda Criatura está realmente dando certo.

VENDAS – MERCADO DA MÚSICA GOSPEL NO BRASIL

· Áudio (CDs) 60%
· Video (DVD’s) 28.1%
· Digital (Mídia Online) 11,9%

INFORMAÇÕES IMPORTANTES SOBRE O BRASIL

· É o quinto maior país do mundo, com 190 milhões de habitantes;
· É o país com maior economia nacional da América Latina;
· É uma das economias que mais cresce no mundo (5% ao ano);
· Os evangélicos cresceram de 2.6% para 29% em 20 anos, enquanto que a proporção de católicos caiu de 95% para 63%;
· Todos os anos, abrem, aproximadamente 10 mil novas igrejas; que se agregam as 200 mil já existentes;
· 300 mil novos pastores e lideres são consagrados;
· Cerca de 500 escolas de educação teológica são abertas

Fonte: Oziel Alves
Na foto, Kevin Hyer, diretor executivo do grupo Word Entertainment nos Estados Unidos, pela primeira vez no Brasil.


10 COMENTÁRIOS

  1. Apenas uma correção… Segundo a última pesquisa do IBGE, a população de católicos é de 73%, e não de 63%, como menciona o matéria. Paz e bem.

    • Olá Ana,
      A matéria acima foi escrita por mim, em setembro de 2010 ( logo após a ExpoCristã em SP ) para a Revista Consumidor Cristão, distribuída nacionalmente entre livrarias, editoras e logistas. Quanto a porcentagem de católicos 73% é o índice da pesquisa do IBGE realizada no ano 2000. Portanto o 63% é uma estimativa, devido ao crescimento da população evangélica, até porque a pesquisa do IBGE 2010 ainda não divulgou este dado. Eu creio que vai ser até inferior. Abraços e obrigado pelo comment.

  2. Amiguinha, o que voce quer dizer com sua saudação final? paz eu entendi, mas “bem” não entendi o quer dizer. Não ligue pra porcentagens não, o importante é almas salvas pelo sanguie do cordeiro, viu? a paz do Senhor.(viu que essa saudação é muito melhor?).

  3. Nos é contado que Jesus ao chegar no templo e ver que mais parecia um mercado quebrou tudo….
    O que Ele diria do que ocorre hoje com a palavra de Deus???

  4. É verdade, no Brasil e em outros paises da America latina a igreja protestante só tem crescido em relação a Europa. Creio que isso é de Deus. a Europa de esfriou na fé com os olhos voltados para o consumismo, modismo, paganismo, entre tantas coisas que afastam de Deus, e o candeeiro da luz de Cristo foi movido pra os paises do terceiro mundo, principalmente o Brasil, por isso tem crescido tanto.

    Tem uns que vão dizer; ah, mas crescimento só em numeros não é bom, eu creio que já é o primeiro passo sim, se aceitou Jesus, o resto víra, o crescimento espiritual vai vir depois, e a venda de produtos pra esse publico é só consequencia disso é claro. Quem antes comprava cd e dvd de cantores do mundo, por que não comprar com mensagem de Deus?

  5. Com todos esses bilhões daria pra sustentar a Africa inteira, suprir toda a necessidade da falta de Bíblias na língua dos paízes de igrejas perseguidas, menos cristãos e missionários seriam perseguidos e torturados lá fora, a cada 3 minutos um cristão perseguido é torturado e morto enquanto a indústria gospel só lucra e fatura, pra quê? pra engordar mais ainda as ovelhas já obesas de tanto alimento sem dividí-lo com nem um coreano, africano, chines, europeu e muitos outros irmãos da igreja perseguida lá fora.
    “Missionários? Missões? Vamos separar um culto por mês especifico para recolher ofertas (esmolas) para mandar pros missionários! ÊÊÊÊÊÊÊ! e a igreja vai ao delírio! ”

    Realemente, o dinheiro move o mundo! E o apego a ele também promove a raíz de todos os males.
    Principalmente se esse dinheiro for usado de forma totalmete equivocada e inadequada!

    “Ah… mas nós brasileiros, servos de Deus temos que nos alimentar…”

    Já num se alimentou o suficiente não? Pois já são anos de indústria gospel sem nem uma compaixão da parte das ovelhas gosdas para com os famintos de alimento do céu!

  6. Se Jesus estivesse aqui nesta terra em nossos tempos ele iria entrar nos templos e expulsar os salteadores,esses vendedores do evangelho que têm a cara de pau de dizerem ” eu sou adorador”, adorador? Adorar não assina contrato milionário com gravadora mundana, adorador não tem objetivo lucrativo com o seu louvor. Que evangelho é este que precisa ser comprado? Isto é adoração? Um dos pilares da reforma de Lutero foi a ” Soli Deo gloria” Glória somente a Deus. Mas tem muitos pastores que têm tomado a glória de Deus, tem muitos cantores, adoradores – eu falo ironicamente, porque esta raça não é adorador nem aqui e nem na china – que tem tomado a glória para si. Adorador é você que não tem dinheiro para comprar um violão, mas no fundo do coração sabe o está dizendo, adorador é você que não sabe os tons, acordes musicais, mas que adora com sua voz desafinada e fora dos padrões mas lá no fundo você reconhece a soberania de Deus.

Deixe uma resposta