Home » Destaque, Música Internacional Gospel, Música Nacional Gospel

CCLI: Pagamento de direitos autorais para músicas tocadas em igrejas causa polêmica na internet

Música Gospel em seu email

Receba Música Gospel em seu email gratuitamente! Insira seu email:

Gospel+ no Twitter!

ou no facebook

CCLI: Pagamento de direitos autorais para músicas tocadas em igrejas causa polêmica na internet

O pagamento de direitos autorais para músicos e compositores cristãos que tem suas obras reproduzidas dentro de igrejas causou polêmica na tarde dessa quarta feira na internet. A polêmica surgiu em torno da atuação da CCLI (Christian Copyright Licencing, Inc), entidade que trabalha com o licenciamento de direitos autorais relacionados com igrejas e músicos cristãos, e teve sua legitimidade enquanto ministério cristão questionada por pastores e outros cristão na tarde de hoje.

Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel

Apesar de a CCLI já atuar no Brasil desde 2008, os questionamentos em torno de seu trabalho tomaram grandes proporções hoje depois que o bispo Walter McAlister, líder da Aliança das Igrejas Cristãs Nova Vida, trouxe a público seu descontentamento com uma carta da entidade que sua igreja recebeu alertando sobre a sua regularização quanto ao pagamento de direitos autorais, que deveria ser feito através da entidade.

– Soube hoje que as Igrejas Cristãs Nova Vida, da qual sou o Bispo Primaz, foram notificadas de que teriam de pagar direitos autorais pela execução de músicas de “louvor” nos seus cultos. Cada uma de nossas igrejas ficaria, assim, responsável por declarar o número de membros e a frequência aos seus cultos, para que fosse avaliado o imposto a ser pago ao Christian Copyright Licensing International (CCLI) – informou McAlister em um artigo em seu blog, no qual segue questionando o porquê de tal cobrança dentro das igrejas, visto não se tratar de organizações com fins lucrativos.

McAlister publicou também em sua página no Facebook uma cópia da carta recebida da CCLI, que informa que os valores a serem pagos pela entidade devem ser calculados pelo número de pessoas presentes regularmente no culto das igrejas.

– Igreja é um empreendimento com fins lucrativos? Não – segundo a definição do próprio Estado brasileiro. Ela goza de certos privilégios, na compreensão de que a sua atividade é religiosa, devota e piedosa e, sendo assim, sem fins lucrativos. Que muitos “lucram” em nome da Igreja ninguém duvida. Mas, em termos estritamente definidos pela legislação, não é um empreendimento que tenha como finalidade o lucro – afirma o bispo.

O assunto foi bastante discutido ao longo da tarde nas redes sociais, e foi comentado também pelo pastor Renato Vargens, que afirmou em seu site: – O simples fato de saber que existe gente querendo enriquecer às custas do louvor na casa de Deus me dá náuseas.

A maioria dos que comentaram o assunto no Twitter e Facebook se posicionaram contra a cobrança, e ressaltaram o fato de grandes nomes da música gospel estarem relacionados entre os artistas vinculados à CCLI. Muitos compararam ainda a entidade ao ECAD (Escritório Central de Arrecadação e Distribuição), entidade responsável pela arrecadação e distribuição de direitos autorais decorrentes da execução pública de obras musicais no Brasil.

Em seu site a CCLI afirma não ter vínculos com o ECAD e afirma que seu trabalho tem um foco diferente do de tal entidade, e explica ser um facilitador para que as igrejas obtenham de maneira mais fácil a autorização para reproduzir qualquer música em seus cultos, eliminando a necessidade de autorizações individuais de cada artista, e ajudando as igrejas a se “livrarem da pirataria” por ajuda-las a executar as músicas de maneira legal.

A polêmica em torno do tema levantou também questionamentos sobre a qualidade da música gospel atual, e muitos afirmaram que essa cobrança seria uma oportunidade para as igrejas voltarem a utilizar hinos tradicionais, como os presentes na Harpa Cristã.

– Louvar a Deus é uma atividade que gera rentabilidade? Também não. Quando cantamos ao Senhor, estamos nos expressando a Deus em sacrifício santo e agradável a Ele (se bem que não caem nesta categoria muitas das músicas que doravante serão objeto de taxação, por decreto-lei) – questionou o bispo, que afirmou ainda: – Não há um centavo a mais caindo nas salvas porque cantamos uma música de uma dessas cantoras gospel da moda em vez de Castelo Forte. É possível fazer um culto fundamentado apenas nas músicas riquíssimas do Cantor Cristão e da Harpa Cristã.

Apesar da polêmica gerada pelo tema, Walter McAlister ressaltou que sua preocupação é doutrinária, pois a CCLI teria colocado em dúvida a natureza da Igreja enquanto “Casa de Oração”. O bispo afiram ainda que nunca atacou os “mercenários da fé”, mas que não pode se calar perante um ataque à Igreja de Cristo.

Redação Gospel+

PS.: Comentários via Google+ estão logo abaixo desabilitados no momento.


Comentários via Facebook

26 comentaram, comente você também!

  1. É muito estrelismo, é nas igrejas que os hinos se tornam conhecidos, eles deveriam é serem gratos por seus hinos serem divulgados, na tv vc tem que pagar para aparecer e eles não reclamam, é quando na palavra se diz que Deus procura verdadeiros adoradores é que está sobrando cantores mas adoradores é uma espécie em extinção
    :(

    • Eles é que deveriam pagar por cantarmos suas músicas na igreja. Com isso ganham visibilidade, vendagem de cd´s, dvd´s e realização de shows.

      • Victor Santos disse:

        Eu acho isso uma palhaçada, pra que então existem os PlayBack’s? É às nossas custas que os cantores ganham dinheiro, somos nós que compramos Cd’s (Só de impostos já é um bom dinheiro), somos nós que pagamos ingressos para seus shows! Somos nós que ajudamos a pagar para o (a) cantor (a) vir nas igrejas!!

  2. Airton Vangerlan disse:

    Discordo pois se as musicas é pra louvor a Deus e se foi inspirada pelo Espirito então pertence a igreja. Mas concordo que esto se aplique em um show externo ou programa de radio e tv…pois os músicos vivem deste trabalho do jeito q é na musica secundaria…

  3. Como sempre, aparece um bando de espertos para lucrar com pseudo coisas de deus. Pergunta: Se a música é realmente inspirada por Deus, que ou qual direito tenho eu sobre ela? Faltava pouco, agora não falta mais nada. Acho que me engano; ainda falta muita coisa até a volta de Jesus. Mais uma “empresa” interessada em “proteger” as “igrejas” da “pirataria”. E sem fins lucrativos é claro! Não? Que novidade. Certamente que eles devem proteger suas estrelas, suas músicas, seus shows e etc. E nós, povo de Deus, certamente devemos nos afastar delas. Chega de palco.

  4. Airton Vangerlan disse:

    Retificando:…é meio complicado porque ao ser cantado os hinos está sendo divulgado e se as pessoas e igrejas cobrar pela propaganda ou divulgação que está fazendo para um publico que muitas vezes nem conhece as musicas e o autor e cantor…Achoque só poderia ser cobrado se o evando for com fins lucrativos… Deus continue tendo miserícordia de nós!!!

  5. Se querem copiar o mercado de musica popular em tudo, desde o estrelismo até seus vícios de mercado e de cultura era uma questão de tempo para essas questões de direitos autorais aparecerem.

  6. Essa questão , em minha desprezível e humilde opinião, é um ônus consequente da “profissionalização” da musica cristã ! Um verdadeiro mercado foi fomentado, uma cadeia produtiva foi propositadamente criada em busca de lucro, status e divulgação e como todo mercado estas questões precisavam surgir. Se o “levita” (existe isso mesmo ?) presta um serviço ( que deveria ser altruísta e não o é ) e quer receber dinheiro por isso alguém tem que pagar por isso. Isso tudo é consequência da lógica mercantilista importada da onda gospel norte-americana.

  7. “Cantai ao senhor um cântico novo” …Portanto que crentes altruístas e voluntários componham musicas novas e esqueçam o que se fez nos últimos tempos fugindo destes mercenários capitalistas e vaidosos !

  8. Pra começo de conversa o show tem que parar…os “shows” deveriam ser boicotados !

  9. fico a pensar…Evangelho é comércio??Seria interessante se nós, “mercado gospel”, melhor, consumidores gospeis, fizessemos um boicote na compra de cds e dvds desses cantores favoráveis a essa Lei…Jesus Cristo cobrou para dar a salvação??Me desculpem, mas vocês são lobos disfarçados de ovelha…vão trabalhar cambada!

  10. se o autor é o espírito santo os direitos são dele mas ele não cobra logo não precisamos pagar, se ele não é o autor não serve pra ser cantado em um culto cristão. se somos sensatos vamos boicotar todos que fazem parte da ccli e se necessário que o canto seja espontâneo tendo assim a certeza que o autor da vida é que nos conduz.

  11. No Brasil a cultura das pessoas é achar que a música gospel é de domínio público e todo mundo pode usar como quiser… o compositor não é da Igreja que ele atua, como fica para ele ser respeitado em todo seu trabalho e inspiração para compor???? Todo mundo gosta de adorar a Deus com uma música gostosa, bem composta, inspirada…. Para conseguir compor uma música assim (estou me referindo as de qualidade), o músico já investiu muito em estudo, horas de dedicação. As pessoas pensam que é pura inspiração, é também, principalmente, mas Deus precisa de um músico preparado para que as cançoes que Ele inspira sejam bem elaboradas. Se fosse pura inspiração, qualquer um poderia compor uma música, sem saber uma nota músical sequer. Os músicos poderiam ser respeitados então na compra de CDs, mas até isso os cristãos nos envergonham, comprando CDs CRISTÃOS PIRATAS!!! Isso sim é desrespeito com o servo do Senhor.

    • São séculos de igreja …O que faz essas “estrelas”pensarem que suas musicas, das ultimas 3 décadas, são fundamentais para a sobrexistncia dos cultos?

    • Querida! Deus não precisa de nada, quanto mais de cantorzinhos. Deus se basta por si mesmo. leia mais a biblia e deixe a biblia falar com você. Deus é digno de adoração ele não precisa de adoração. e musica não é ministerio é um dom como qualquer outro! desse do altar viu, coloque Jesus nele. de quem era a musica que pedro cantou quando estava preso e as correntes se romperam, e o hino que Jesus cantou no momento da ceia? outra coisa algumas frases cantadas não são da biblia? e os direitos autorais por usa-las? chega …. de infantilidade. a maioria diz que fez a musica ou lovor para Deus, já começam mentindo, fez para vender. se é para Deus por que estão reclamando?

    • Mas oque DEUS dá de graça, espera-se que do mesmo seja passado da mesma forma, mas claro os custos de midia, e pessoas envolvidas devem ser pagos, mas como você disse “Se fosse pura inspiração, qualquer um poderia compor uma música”…, é da pura inspiração divina que provem os louvores, e se não for puro oque são então? São musicas do mundo, e como qualquer musica que provem de homens, perdendo o seu real valor perante DEUS. Acredito que a igreja que cante estas musicas, e não louvores como insistem uns, realmente deve pagar o valor das mesmas, para não escandalizar o mundo.

  12. Por que será que Jesus nunca cobrou desses mercenários o uso do nome Dele e de seus feitos em suas canções?

  13. Só para um esclarecimento: Pelo que sei para cultos religiosos essa taxa é isenta. Inclusive essa informação está no site da própria empresa. Essa taxa só vale ser for um “Show Evangélico”. Ligue para o ECAD para maiores informações. Me parece que a empresa se “equivocou” na mensagem enviada as 250.000 igrejas.

  14. Temos que prestar mais atenção no que ouvimos deixarmos certos musicos que vendem o louvor, e dar honra aque de fato é merecedor DEUS.

  15. Só estão ligados em como ganhar mais dinheiro, imagino se morreriam pelo evangelio como homens que foram verdadeiros ministros os tais que aderiram isso devem ir ser ministros la em Brasilia-DF

  16. Coisa mais sem fundamento! Só serve pra trazer discórdia entre o povo de Deus.

  17. Duvido muito que tem alguém querendo lucrar com louvor,pois os que cantam tem de estar ciente que cantam ao Senhor e ao seu rebanho,pois quem conhece o evangelho sabe de suas consequências, e acredito não teria ninguem tão infantil assim.

  18. De uma maneira bem chula….

    O que parece é que muitos cantores piratiaram o conteudo de DEUS e estao vendendo igual a camelôs….

    Se a igreja paga aos cantores, quem paga a Deus? Ja que nao compuseram nada, só interpretaram? Com certeza, alguem ta sendo roubado…na cara dura!

  19. Não vejo estranheza nisso, já que alguns músicos cristãos só tocam em outras igrejas se forem pagos… qual a diferença? Não se faz mais nada só por amor a Deus e a sua causa… tem que ter dinheiro envolvido!!! E ainda acham que estão agradando a Deus…

  20. Veralice Evangelista Cruz Silva disse:

    Deus me deu alguns hinos, vou registrá-los, não para cobrar das igrejas ou irmãos que cantá-los mas para garantir meus direitos. Como é que eu vou cobrar louvores e súplicas a Deus se tudo a Ele pertence?

    

Sua resposta

Adicione seu comentário abaixo, ou faça trackback de seu site ou blog. Você pode também assinar esses comentários via RSS.
Seja legal. Não escreva em CAIXA ALTA. Mantenha no tópico. Limite de 3000 caracteres no comentário.

Há 16,856 comentários no Música Gospel.

Da Internet e em Inglês para Praticar